ita eng fra bra deu

NA ÁUSTRIA SOBRE OS ALTOS MONTES TAURI

Áustria – Junho de 2005
 
A bela estação convidava a viajar de moto e Lola percorreu mais de 10.000 km: para ela, a moto já não tinha mais segredos.
 
A nova viagem teria a duração de uma semana e, para Lola, representaria uma verdadeira novidade: até então somente viagens com duração máxima de três dias. A primeira dificuldade seria acondicionar o material de Lola (tigela, escova, etc.) não que a comida (rações ou biscoitinhos) fosse necessária para encarar a viagem. Ainda assim, as malas de nossa moto não são suficientes para conter as "nossas coisas" e "as coisas" de Lola. No final, decidimos renunciar algumas das "nossas coisas": Lola não pode escolher... Nós sim!
 
COMEÇA A VIAGEM: UM NOVO PAR DE ÓCULOS DE MOTO PARA LOLA
 
A viagem prevê três noites em Italia - Alto Adige (Valle di Tires, na província de Bolzano ), duas noites na Áustria (Heilingenglut)  e outras duas noites e Alto Adige (sempre no Valle de Tires).
 
Referente à viagem de Junho 2004 nas Dolomiti ("os primeiros quatro passos de Lola" ), aconteceram duas novidades: Lola usava um novo par de óculos com lentes azuladas (para proteger os olhos do sol em montanhas altas )  e "o cartão de visita" de Lola.

Revelamos novamente uma "famosa" foto de Lola, com uma dimensão parecida com a de uma foto usada na carteira de identidade e, na parte posterior, estampamos seu nome, junto com seu ex site "www.viaggiarecolcane.it".
 
Inútil dizer que os "cartões de visita" de Lola acabaram rapidamente: todas as 150 cópias que tínhamos se esgotaram; Um verdadeiro sucesso!
 
A meta da nossa viagem é a "mítica" Grossglockner Alpenstrasse: a mais famosa estrada panorâmica da Áustria e a mais alta estrada de todo continente Europeu.
 
A beleza desta estrada alpina é que se viaja quase sempre a uma altitude superior de 2.000 metros até alcançar o ponto mais alto, situado a 2.576 metros (o "biker point" de Edelweisspitze: um lugar único e sugestivo)
 
NA ÁUSTRIA: UM HOTEL MUITO ROMÂNTICO
 
Depois de ter passado as primeiras noites no Valle di Tires  perto de Gasthof Edelweiss  nos aventuramos até a fronteira e a nossa "base" na Áustria seria na característica região de Heilingenblut, situada a mais de 1.600 metros.
 
Heilingblut é o ponto de partida da estrada alpina e representa a localidade mais característica do Valle Moelltal   com a sua bela igreja de formas góticas e com um agitado sino agudo, com os Montes Tauri ao horizonte.

Em Heiligenglut, a Grossglockner Alpenstrasse, depois de cerca de 40 km de curvas e de vistas extasiantes, termina em Fusch sem primeiro ter nos presenteado com emoções e belíssimas recordações.
 
Chegamos à tarde ao Hotel Chalet Haus Senger (os proprietários adoram os cães) e, sem hesitação, decidimos (apesar do cansaço da viagem ao Alto Adige) "subir" rapidamente.
 
É cobrado um valor para entrar na estrada alpina e, no pedágio, uma gentil senhora (proprietária de um cão), ao ver Lola nos pede algumas informações e tira algumas fotos.
 
SUBINDO NAS ALTURAS
 
A estrada começa rapidamente a subir, quase como se fosse uma longa fenda ao lado da montanha: retilínea, curvas largas, sobe-desce e curvas tipo cotovelo seguem sem interrupções; o asfalto é perfeito e Lola percebe de imediato que está fazendo uma coisa verdadeiramente especial (assim que saímos do hotel, sentou-se em sua bolsa e, orgulhosa, olha o panorama das montanhas... cobertas pela neve...)
 
Rapidamente chegamos a mais de 2.000 metros e a região de Heiligenglut já aparece distante como um pequeno pontinho em meio ao verde, ultrapassando os campos da Moelltal 
 
As árvores deixam espaço a uma paisagem de uma beleza selvagem e extasiante: Lola está perfeitamente cômoda com a estrada, tanto que antecipa-se  as curvas posicionando-se de modo a facilitar a condução da moto (... cada vez ficamos mais pasmos...)
 
Ao horizonte, sempre mais próxima, aparece a "pirâmide branca" de Glossglokner, a montanha mais alta da Áustria (mais de 3.500 metros) com seu cume sempre coberto de neve.
 
Paramos para uma foto na frente a uma "geladíssima" cachoeira: se pudesse, Lola faria logo um banho! Mas teremos tempo para brincar "de ser um cão"!
 
Próximo a bifurcação de Posthaus Guttal, a Glossglokner Alpenstrasse, começa pela esquerda, a "ramificação" da Gletscherstrasse, uma fantástica estrada que conduz até o ponto panorâmico (o mais "congestionado" de toda estrada alpina) de Franz – Josef Hohe, situado a 2.369 metros, enquanto à direita, a estrada segue até o túnel de Hoctor (a 2.540 metros) e  depois, acima até Edelweisspitze.
 
Embocamos à esquerda, a entrada que nos conduz até ao "belvedere" de Franz – Josef Hohe e, depois de diversas curvas sinuosas, paramos (para um pic-nic) às margens de um belíssimo lago alpino onde Lola aproveita para um banho em um córrego, formado por uma cachoeira que vêm diretamente da geleira.
 
É realmente lindo ver que, mesmo em nas alturas, Lola quer "brincar de ser um cão" mergulhando na neve em diversos pontos, nas margens do lago: para ela foi um verdadeiro divertimento!!
 
SOBRE A GELEIRA PASTERZE
 
De Franz – Josef Hohe pode-se admirar a geleira Pasterze, uma gigantesca língua de gelo que fascina também Lola, imediatamente atraída pelas incontáveis marmotas, presentes pelos lados da montanha, vistas pelo panorama.

À noite, Lola estava muito cansada: depois do jantar foi direto para a cama. De noite, a quietude e a tranqüilidade circundavam o Hotel Haus Senger. Lola dormiu toda a noite, e somente com as primeiras luzes da aurora, "pulou" da cama: quer comer! Nós sentíamos sua felicidade pela experiência que estava vivendo.
 
No dia seguinte, tornamos a Glossglokner Alpenstrasse e nos dirigimos ao ponto mais alto: Edelweisspitze.

A estrada, na bifurcação de Posthaus Guttal, começou a subir rápido e de forma incisiva, mas sem criar problemas: o dia estava fantástico, o ar estava transparente e o céu estava igualmente azul e límpido, parecia pintado. E mais, o manto da estrada era digno de um verdadeiro circuito de Moto GP.
 
Chegando ao Passo Hoctor, paramos para algumas fotos: um cartaz indicava que estávamos a altura de 2.540 metros e, de repente, nos demos conta que o "nosso" Passo Pordoi estava realmente muito mais abaixo.

Lola estava afascinada pela neve ao lado da estrada e das numerosas vacas que pastavam pelos campos.
 
Superando o Passo Hoctor, passamos dentro de um túnel muito fascinante, construído no início do século, cuja parte interior "toca" o coração da montanha, ainda que por poucas centenas de metros.
 
LOLA SOBRE EDELWEISSPITZE
 
Na saída do túnel, o olhar divagava... quase pelo infinito...e a longa distância era possível ver o cume do Edelweisspitze.
 
A nossa meta era um ponto rochoso que, com os seus 2.580 metros, representa o ponto mais alto da estrada alpina, mas que é "conquistado" com calma e prudência: se deve enfrentar uma tortuosa e estreita estrada (pavimentada), causando arrepios e sem nenhuma proteção lateral digna de nota!
 
Ao final, e depois de termos enfrentado os últimos ventos com "o coração na boca", voltamos ao estacionamento onde fomos recompensados depois de tanto "cansaço": dali foi possível admirar toda a beleza de mais outras dez montanhas, cuja altura é superior a 3.000 metros! Um espetáculo inesquecível!
 
Lola, durante a subida ao Edelweisspitze foi muito corajosa: teve compostura, quase ciente do evento que estava vivendo. Naquele momento compreendemos a importância de um total comprometimento com ela, e sobretudo, a total confiança que Lola tem nos confrontos de "piloto" da moto. 

O estacionamento está cheio de motociclistas provenientes de toda parte da Europa: todos pedindo informações de Lola e tirando fotos, e todos querendo o "cartão de visita" de Lola.
 
VOLTANDO PARA CASA
 
Nesta viagem, Lola percorreu mais de 1.800 km e "tocou" 13 passos alpinos, entre Itália e Áustria: a cada passo (quando possível) comprávamos um broche ou "pin", que era imediatamente colocado em sua bolsa de viagem.
 
Cada pin representava uma "medalha" para Lola, e um reconhecimento de cada tarefa  durante esta viagem foi completada.
 
Passamos o último dia de viagem pela Itália nos campos em torno do Refúgio Fuciade  sobre Passo San Pellegrino  que para Lola, representa um lugar muito especial... mas não só para Lola...
 
Foi uma semana realmente plena de emoções e para Lola foi prometido que, antes ou depois, retornaremos aos Altos Montes Tauri!

 
    GASTHOF EDELWEISS PASSO ROLLE ROSENGARTEN PASSO SELLA ROMANTIK HOTEL HOCTOR TUNNEL EDELWEISSPITZE
 
  web design Elevel